6 de junho de 2013

A Lenda do Fantasma do Garoto no Auditório do Colégio Militar de Brasília

Por ^Ã^njinha

Vocês podem até não acreditar, mas é só perguntar para qualquer aluno do Colégio Militar de Brasília sobre o fantasma do garoto no auditório, que vocês vão começar a acreditar...

Tudo começou em 2003, quando eu ouvi falar que um garoto do CMB tinha morrido no auditório. Para falar a verdade eu nem acreditei, mas tudo bem. Nesse mesmo dia, meu pai, que é professor do CMB, foi me buscar, e eu acabei comentando essa estória que eu tinha escutado. Não é que o meu pai falou que realmente um aluno tinha morrido lá, e era aluno do meu pai?? Bom, a partir daí eu pedi para o meu pai me contar toda a estória, e assim ele fez...

"Um dia um aluno resolveu matar aula com um amigo dentro do auditório. Esse aluno subiu em uma escada que tinha lá dentro, e quando já estava quase chegando no final da escada, ele escorregou e caiu. Mas não foi no chão que ele caiu, e sim, bateu com a nuca no braço de uma das carteiras, e acabou morrendo." 

Fiquei pasma com a estória, e como já devem ter adivinhado, no outro dia contei tudo para todos os meus amigos e amigas. Foi aí que um amigo meu falou que tinha escutado falar de um fantasma no auditório, e que poderia ser o desse menino. Uma das minhas melhores amigas, falou que não acreditava e que queria  ir no auditório tirar a prova final. Como eu também não tinha acreditado, fui com ela. Lá estávamos nós, na hora do recreio eu e ela fomos para o auditório, perfeito, não tinha nenhum soldadinho lá para impedir que entrássemos, e foi o que fizemos. Todas as luzes estavam apagadas, e logo no começo do auditório, existe meio que uma bifurcação. Decidimos ir para o lado direito, que estava mais escuro. Eu estava andando toda empolgada na frente, e minha amiga recuando, alegando já ter visto que não tinha nenhum fantasma e que queria ir embora. Falei que quando fossemos até o final do "corredor", poderíamos voltar. Mas antes de dar mais um passo, escutei o grito dela e ouvi seus passos correndo para fora do auditório. Pensei: "Que droga, logo agora que estava ficando legal..." Mas como eu sou muito medrosa, e sabia que não ia conseguir chegar até o final sozinha, saí correndo atrás dela.

Quando saí do auditório, achei minha amiga sentada em um banco, quase tremendo de medo. Sentei ao lado dela e perguntei o que tinha acontecido, e ela me respondeu que nunca mais iria entrar lá de novo, por que realmente era assombrado. Não tinha entendido direito, então mais uma vez perguntei o que tinha acontecido. Dessa vez ela me respondeu que quando encarou bem no fundo do corredor, sentiu um arrepio e viu uma "fumaça" branca se formar bem fraquinha. Como tudo lá estava um breu total, se fosse uma "fumaça" normal, ela não teria visto, e tão pouco foi ilusão, por que para falar a verdade, eu também me senti estranha... Então nós fomos para sala e contamos para o povão, como ninguém acreditava (novidade...), marcamos uma excursão ao auditório no recreio do dia seguinte.

Nós combinamos de fazer uma excursão no outro dia para ver mesmo se tinha fantasma ou era só imaginação.

No outro dia, fomos para o auditório eu, mais duas amigas (sendo uma delas a que tinha ido comigo no dia anterior), e mais dois amigos.

Até aí tudo bem, na hora do recreio todos fomos para o auditório, que naquele dia também não tinha nenhum soldado para ficar vigiando, então nós descemos as escadas e chegamos na "bifurcação". Eu, minha amiga do dia anterior e um outro amigo meu, fomos todos para o lado direito, e meu outro amigo e outra amiga foram para o direito (ambos os lados estavam um breu total, pois não tem janelas no auditório, e as luzes estavam apagadas) Como eu não costumo ter muito medo sozinha, fui na frente toda empolgada, sendo que meu amigo ficou um pouco atrás e minha amiga já muito assustada ficou beeeem atrás. Estava eu lá andando, quando escutei um baque forte e vários passos correndo. Notei que todos foram embora, e comecei a correr também, o problema é que eu tava já bem na ponta do corredor, e estava muito escuro, e quando eu virei para sair correndo, eu não sabia para que lado eu tinha virado (para vocês verem como estava escuro lá). Aí eu já tava com muito medo mesmo, por que todos já estavam subindo as escadas, e mais uma vez eu tinha ficado sozinha lá em baixo. Bom, eu só sei que eu saí correndo para qualquer lado, e quando notei tinha batido de cara na parede. Daí que eu notei que eu corri para o fim do corredor, e não para as escadas. Já desesperada, virei (dessa vez para o lado certo) e saí correndo. Já na metade do corredor eu tropecei, desesperada comecei a gritar por socorro, quando mais uma vez senti um calafrio muito forte. Eu tentava me levantar, mas minhas pernas estavam balançando muito, foi aí que eu notei que um dos meus amigos estava lá nas escadas me procurando. Gritei mais uma vez por socorro, dessa vez ele me viu, mas não viu só a mim. Ele apontou para trás de mim e gritou cuidado bem forte, aí ele subiu as escadas correndo. Daria tudo para não ter olhado, mas não tinha outra maneira, só sei que quando olhei para trás e vi aquela escuridão toda, e bem atrás de mim, mas bem atrás de mim mesmo, vi uma "nuvem" branca. Não sei como, eu dei um pulo do chão e saí correndo como uma doida daquele lugar. Quando cheguei nos banquinhos que tinham na frente do auditório, vi todos meus amigos lá. Perguntei quem tinha feito aquele barulho e todos falaram que não sabiam.

No outro dia, nós até que tentamos entrar no auditório com uma lanterna, para ver qual era o problema daquele espírito, mas a partir daquele dia, tem sempre soldados na porta do auditório, que não deixa a gente entrar de maneira alguma.

Fonte: Sobrenatural.Org
Comentários