7 de maio de 2013

Uma explicação para Tunguska?

Imagem das árvores destruídas em Tunguska
Três pequenas rochas podem explicar o que aconteceu no ano de 1908 em Tunguska.

Em 1908, uma enorme explosão envolveu os céus sobre o Rio Podkamennaya Tunguska, na Rússia. Foi uma enorme explosão atmosférica que destruiu 80 milhões de árvores em mais de 2.150 quilômetros quadrados de floresta. Este evento é até hoje um mistério, e como todo bom mistérios, surgiram muitas teorias para explicar o que aconteceu em Tunguska. Foi um asteroide  Um cometa? Ou algum tipo de arma alienígena bizarra concebido para matar um grande número de esquilos?
Assumindo que as explicações mais racionais são mais prováveis, o maior dilema dos cientistas tem sido a falta de detritos que deveriam estar espalhados sobre a região de Tunguska. Mas, de acordo com um cientista russo, ele encontrou pequenos pedaços de rocha que podem ter sido originados a partir da bola de fogo de Tunguska.

Em 1988, Andrei E. Zlobin, da Academia Russa de Vernadsky State Museum Geological Sciences, realizou uma expedição na remota região de Tunguska. Ele cavou dez furos exploratórios em turfeiras, mas voltou de mãos vazias, apesar de escavar em profundidades de permafrost datados de 1908.

No entanto, a inspiração aconteceu em Zlobin. Por que não procurar meteoritos com a própria máquina de perfuração? Durante a coleta de pequenas pedras de sedimentos do rio Khushmo, ele se deparou com vários fragmentos possivelmente da bola de fogo de Tunguska. No total, 100 amostras foram coletadas.

"Em 2008, o autor classificou sua coleção de rochas e selecionou três pedras do rio Khushmo com traços de fusão, que foram descritos e oficialmente registrados", Zlobin escreveu em um artigo publicado no serviço de pré-publicação arXiv.

Ele observou que as três pedras das 100 amostras - medindo entre 20-30 milímetros - apresentam sinais de fusão da atmosfera e estruturas superficiais que parecem ser regmaglipto - marcas típicas dos meteoritos e se formam quando o meteoro atravessa a atmosfera e se incendeia, se apresentam na crosta do meteorito e não em seu interior. As rochas também parecem estar com “shatter cones”, amostras geológicas que apresentam sinais de um impacto enorme.

As pequenas 3 rochas que podem explicar finalmente o que aconteceu em Tunguska.
Tradução: Mateus Fornazari
Fonte: Disclose.tv - TUNGUSKA MYSTERY SOLVED BY THREE TINY STONES?
Comentários