29 de maio de 2013

Tem um Fantasma no meu Quarto!!!!!

Por Stuart Sobrenatural

Meu amigo me contou uma história de arrepiar, e foi mais ou menos assim...

"Hoje faz um ano que passei por uma das piores experiências da minha vida. Para piorar, sinto que tudo poderia ter sido diferente se o destino tivesse sido um pouco menos cruel. Era sábado de manhã. Fui verificar a caixa de entrada do meu correio eletrônico. Logo vi a mensagem que o meu colega de faculdade Maurício havia me mandado na véspera, à noite. A família dele é do interior, e eu era como um irmão para ele. Ele inclusive morava só. Quase não acreditei quando li o e-mail. Senti-me culpado por não tê-lo lido no dia anterior, mas estava muito cansado para acessar a internet ao fim do dia. Ainda guardo o relato do meu amigo. E mais uma vez, irei reproduzi-lo.

"Espero que você abra agora seu e-mail. Pensei em te telefonar, mas estou preso aqui no meu quarto, e você sabe que só tenho telefone na sala (como me arrependo de nunca ter feito uma extensão!). Por favor, venha aqui agora. Tem um fantasma aqui em casa. Não, não é brincadeira! Está justamente na sala. Desde quando vinha da faculdade, no ônibus, sentia uma presença invisível como que me seguindo. 

Um vulto, um vento, sei lá. Ao descer do ônibus, foi com se o calafrio ainda percorresse minha espinha. Vim andando rápido para casa, com essa sensação estranha de mal-estar. Quando abri a porta do apartamento, senti vontade de olhar para trás para ver se havia alguém. E vi o homem. Rosto magro e comprimido, vestido num terno antigo, cabelo negro e penteado para trás. Está com uma expressão de raiva e de dor. Como se eu tivesse feito um mal a ele e agora estivesse querendo tomar satisfações! Imediatamente corri para o meu quarto. Estou rezando muito. Mas ele não vai embora! Entreabro a porta rapidamente, e o vejo em pé na sala, como se estivesse me esperando. Tentei gritar para chamar a atenção dos vizinhos. Nada. Meu quarto é nos fundos do apartamento, fica meio abafado mesmo. Então, mano, rezo para que você leia logo esta mensagem e arrume um jeito de me livrar dessa. Venha aqui agora, mas não venha sozinho. Traga alguém, de um Centro Espírita, ou coisa parecida. Você sempre me tira das enrascadas quando eu preciso.

Conto contigo!

Abraço, Maurício"

Ao ler a carta, liguei para a casa dele mas o telefone chamava e ninguém atendia. Fui correndo para lá. A porta estava apenas encostada. A sala, vazia. Ao me dirigir ao quarto, vi a terrível cena: a porta entreaberta, ele caído numa expressão de desespero. Chamei a polícia imediatamente. O Instituto Médico Legal indicou a causa da morte: asfixia por estrangulamento. Houve um inquérito, e até cheguei a ser indiciado. Mas eu tinha um álibi pois passara a noite com amigos da minha rua. Mostrei o e-mail para o delegado, mas ele não me levou a sério. Talvez tenha sido isso que levantou as suspeitas contra mim, como se eu o tivesse inventado para afastar as suspeitas contra mim. O inquérito foi arquivado, por falta de provas. A Polícia bem que tentou levantar pistas de algum visitante, alguém estranho no prédio. Não havia sinais de arrombamento e Maurício foi visto entrando sozinho em casa. Um vizinho chegou a dizer: 'Ele estava com um jeito esquisito, como se estivesse com medo, angústia. Ficava olhando pra trás o tempo todo, como se estivesse sendo seguido. Mas não vi ninguém atrás dele.'"

Será que meu amigo foi realmente morto por um fantasma? E se foi, por qual motivo? O que teria feito ele para atrair a vingança de um ser do além? Nunca saberemos. Só sei que sempre sonho com ele e seu algoz, e nunca tive uma noite tranquila desde então.
Comentários