20 de maio de 2013

É Júlia pra todo sempre!

Por Annie

Júlia era uma menina muito Bonita  que adorava seu namorado Armando. Ela tinha certeza que Armando seria seu parceiro até a Morte.

Um dia receberam um convite para o baile da escola que aconteceria numa sexta-feira as 18:00hs. Empolgada ela resolveu ir. Feliz e com seu vestido verde musgo, ela chega ao portão e vê Armando de terno preto e muito elegantemente abre a porta do carro para sua. Chegando ao baile, Júlia vê que Armando olha para todas a garotas, menos ela... Logo assim ela começa a se irritar:

- Ei Armando! Sabia que eu to aqui? O que se tá olhando o vestido da Robertinha? Andou bebendo?Fala comigo garoto!

Ele não conseguia falar, mantinha os olhos fixos na garota de vestido branco, cabelos encaracolados e olhos cor de Topázio. Ela sorria e conversava olhando pra ele, o que só fez ele perder a cabeça. Totalmente seduzido, ele larga Júlia no meio do salão e corre para olhar a garota encantadora que tando sorria. Quando ele chegou perto a garota soltou um suspiro delicado e e logo disse:

-Você parece entediado! Que tal se sairmos daqui? Eu quero muito um namorado.

Ele sem nem piscar concorda e sai correndo ao lado da menina, deixando Júlia aos prantos no centro da pista de dança.

Foram a uma pequena mata ali perto ele se sentiu esquisito mas continuou a caminhar em silêncio com a menina. Chegando ao fundo da floresta a menina começa um diálogo sedutor com o pobre Armando que nem sabe o que está por vir:

- Sei que você é jovem, mas que tal se nós tentarmos fazer algo diferente?

- Não sei, hã você fez eu me perder nesse mato deixando a minha namorada sozinha.Olha desculpa eu não sei o que me deu. Me perdoe eu vou voltar.

- Me diga pelo menos o seu nome rapaz.

- Armando, Armando Milton. E o seu?

- Jane.

- Legal, hã será que você pode me colocar na trilha? Tá escuro e frio.

- Não se preocupe,Você é tão frágil e saboroso, por que fugir? É Inútil!

- Como assim? Fugir?

- Se ainda não viu eu tenho uma beleza sobre humana. Repare a cor dos meus olhos, o tom da minha pele, a minha voz. Eu não pareço algo diferente de um humano?

- A meu Deus, você é uma Vampira!

- Bingo! Disse ela com um sarcasmo.

Ela se aproximou do jovem e o mordeu sem dó nem piedade.

Passando 2 horas do desaparecimento de Armando, Júlia fica preocupada. Decidida a perdoar o Amado.

Jane entra na festa como se nada tivesse acontecido. Júlia vê a naturalidade da adolescente e chega ao lado dela já gritando:

- Ei você garota de cabelos castanhos, vem aqui! Cadê meu namorado sua pirada! Aonde você o deixou?

- Relaxa o miss irritante, ele tá bem está num lugar melhor.

Júlia olha pra ela com olhos arregalados, mas Jane nem percebe e volta a conversar com as garotas com beleza sobre humana.

Júlia cutucou Jane mais uma vez.

-Como assim? Sua louca! Cadê ele? Se você não me dizer eu vou bater em você.

Jane virou e deu uma gargalhada alta, fazendo todos do baile olhar pra ela.

- Vejam essa tola, acha que pode provocar o que ela não conhece. Ela virou a cara para Júlia e disse:

- Garota não brinca com o que você não conhece. Eu não sou a coisa mais perigosa daquela floresta! Fique esperta senão vai acordar de ponta cabeça numa árvore.

Júlia completamente imóvel deixa escapar uma lágrima.

Jane solta outra gargalhada, mas sai logo da vista de Júlia, que resolve entrar na floresta ignorando o aviso de Jane.

Com medo ela leva um lanterna.

Ao chegar a floresta se depara com a cena que jamais pensaria ver, seu namorado caído na terra úmida. Solta um grito abafado e chega mais perto de seu amado.

Como último suspiro ele diz: Júlia eu te amo e ela retribui com um eu te amo também.

Júlia, meu amor é pra todo sempre!

Deixando Júlia, ele se despede apenas chorando e some na floresta.

FIM!

Fonte: Sobrenatural.Org
Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários