21 de maio de 2013

Banho e Música

Por Rodrigo Lohan

Suelen estava visitando uma página sobre Terror na internet e se encabulando com as histórias que lia, quando sua mãe bateu a porta dizendo:

- Filha!

- Ah! Que susto... O que foi mãe!

- Pára de ficar vendo porcaria na internet e vai tomar banho! Olha, a gente vai sair para resolver umas coisas na empresa. Voltamos em duas horas! De banho tomado até a minha volta!

- Tá, tá, tá...

Assim que a família saiu pensou:

“Oba, agora sozinha, vou demorar um monte no banho e vou ouvir música muito alta!”

Lá foi ela, entrou no Box deixando um som ensurdecedor ligado. Lá pro meio do banho começou a ouvir um barulho estranho no vidro do Box. Toc, toc...

“Nossa, mas já chegaram? Vou ouvir um monte...”

Abaixou o som, em meio à névoa gerada pelo ar quente do banho tateou até conseguir alçar a porta. Assim que o vapor diminuiu olhava tanto dentro quanto fora do banheiro via ninguém. Deu uns gritos, ninguém respondia. “Mamãe tem razão, tenho que parar de ler essas histórias, estou encabulando...”

No banheiro viu que a janela estava aberta, mas como era toda gradeada ninguém podia entrar. Voltou ao banho e com o som mais alto ainda, quando estava lavando a cabeça o som de alguém batendo no Box voltou. Assustada foi tentar desligar o chuveiro.

Mas não conseguia, além de não enxergar nada entrou o xampu em seus olhos, eles ardiam muito. Logo o seu som começou a tocar estranho, desesperada tentava sair do Box às cegas. Quando conseguiu sair, tropeçou e caiu do chão, chorando se levantou e foi de encontro ao estranho do som do aparelho.

Ainda não conseguia abrir os olhos, pensava que alguém ou até algum fantasma estava ali, seu som estava louco. Só podia ser um fantasma pensava, logo hoje que ela tomaria um banho do jeito que gostava. Quando foi de encontro ao som, para sua infelicidade, encostou na tomada, levou um tremendo choque, estava molhada.

Novamente pensou ser alguém querendo matá-la. Apesar do forte choque, mesmo desorientada tentava achar a porta para sair dali, tropeçou novamente e caiu atravessando o Box que se despedaçou sobre ela. Estava toda cravada com os vidros, com o sangue escorrendo vagarosamente para o ralo, não conseguia se mover. Por fim o barulho da música cessou, com o som caindo ao chão.

Assustada pensava quem queria matá-la ainda estava ali. Implorava para que sua mãe voltasse para salvá-la. Logo, começou a ouvir um som de um passarinho dentro do banheiro. Olhou para cima, viu o pequeno ser se debatendo dentro do banheiro. Estava desorientando, provavelmente ele havia entrado pela janela do banheiro e se assustado com o barulho.

E se debatia pra lá e pra cá, antes de perder a consciência devido à perda sangue pensou:

“N-não acredito era isso... que me estava assustando?”

Ali morreu, com o passarinho em cima da sua cabeça, entoando uma alegre canção.

FIM!

Fonte: Sobrenatural.Org
Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários