3 de maio de 2013

Banho de Sangue

Um adolescente de dezoito anos acaba de se alistar no exército. Os primeiros dias foram tudo uma maravilha. Naquele mundo fechado cheio de outros garotos reprimidos pela obrigação de servir a pátria, os segredos mais secretos eram guardados a sete chaves. Nos alojamentos durante as noites de conversa, alguns jovens falavam sobre o que ouviam os mais velhos. Os recrutas temiam e riam as vezes, não acreditando nas bizarrices que supostamente aconteciam ali.

Histórias como as de adolescentes que depois de meses presos ali começavam a fazer práticas sexuais entre si, as de suicídios misteriosos e da história que se contava nos banheiros coletivos dali.

Os mais jovens ouviram a lenda que falava de um garoto que numa madrugada saiu para tomar uma ducha fria. Chegou no chuveiro, tirou as roupas e entrou debaixo da água. Neste momento enquanto tomava banho ele ouviu o barulho de passos e achou ter visto uma sombra no meio do banheiro meio escuro. Mas parecia estar sozinho. Continuou tomando banho, fechou os olhos para ensaboar o corpo com sabão, foi aí que ele sentiu uma sensação estranha e quando engoliu um pouco da água sentiu que parecia ter gosto. Um gosto amargo meio de ferro que parecia sangue. Ele abriu os olhos e viu que do chuveiro em vez de sair água saía o puro e o mais vermelho sangue. Passava as mãos pelo seu corpo todo ensanguentado e sentiu nojo de si mesmo. O banheiro, o seu corpo e o ralo estavam todos cheios de sangue.

O jovem teve um colapso nervoso na hora e foi encontrado caído no chão do chuveiro com vários cortes na virilha e no peito. Parecia não se lembrar de absolutamente nada do que havia acontecido, muito menos no banho de sangue que aconteceu a poucas horas antes.

Falou em banho de sangue, não tem como não lembrar da cena clássica do filme Carrie - A Estranha.
Fonte: Sobrenatural.Org
Comentários