18 de abril de 2013

Trabalho e o Sobrenatural

Por Lucio HP Silva*

Fiz parte de uma empresa conceituada de segurança privada, então fui enviado para um novo posto de serviço antes de ser promovido a supervisor. O posto era o pátio de uma concessionária de veículos que havia alugado uma área com uma casa velha.

Nos primeiro dias tudo corria bem, mesmo sem energia elétrica, eu passava as madrugadas ouvindo o radio. Até que o outro segurança me perguntou se eu nunca havia sentido nada diferente quando ia ao banheiro. Eu nem usava o banheiro, portanto não poderia sentir nada. Nem mesmo me aproximava do interior da casa, só ficava na área externa, porém eu já havia notado que as vezes ouvia barulhos que para mim vinham da rua. Mas após esse questionamento, comecei a dar mais atenção para tudo ao meu redor. Foi então que em uma noite senti que mais alguém estava comigo no local, que por sua vez tinha alarmes. Resolvi checar, empunhei a arma e dei uma volta em torno da casa. Ao passar pela entrada da cozinha vi a luz acesa, entrei, apaguei, dei as costas e... ela acendeu novamente! Descrente em coisas do tipo sobrenatural, voltei e desrosquei a lâmpada. Acreditem se quiser, mas ela acendeu novamente e o que é pior, eu vi diante de mim um homem magro, meio careca e mal-trapilho. Disse a ele para que não se mexer e ele sumiu na minha frente!

Liguei para meu fiscal e para meu supervisor e os aguardei no portão da frente da casa. Eles chegaram quase juntos e contei o acontecido. Fui aconselhado pelo supervisor a deixar o fato de lado, visto que seria indicado a uma promoção, e que tal fato tiraria minha credibilidade. Enquanto falava comigo o dito mal-trapilho veio pelo corredor em nossa direção. Meu supervisor sacou a arma, efetuou um disparo e o homem sumiu novamente. Fui ordenado a deixar o local imediatamente e não comentar o fato com ninguém.
Ainda trabalhei nessa empresa por seis meses, como supervisor, o fato é que chamaram um pastor e um outro cara que eu não sei quem era ou que era. Só sei que desse dia em diante, todas as luzes passaram a permanecer acesas e o banheiro foi trancado. Os ruídos e barulhos continuam até hoje, e dos seguranças do meu tempo, só um que trabalha durante o dia permanece lá. A noite fazem rodizio, sem segurança fixo
Comentem e deem suas opiniões.

Conteúdo relacionado:
Seguranças Particulares – o que eles já presenciaram nas mansões
Pessoa assustadora na praia da Baleia


Fonte: Sobrenatural.Org

* Ex-militar do exercito e da polícia de Goias. Morou 3 anos nos E.U.A. Nas Cidades de South San Francisco CA, Buck Head GA. Morei 1 ano em Portugal, Setubal e dois na Espanha.
Comentários