19 de abril de 2013

Issei Sagawa - O Verdadeiro Hannibal Lecter


E se a frieza e a monstruosidade do psicopata mais famoso dos cinemas não estivesse presa somente em um roteiro, mas fosse parte da biografia de um dos mais assustadores assassinos do mundo?

Sim, parece um mero apodo, porém o japonês Issei Sagawa faz trepidar até mesmo o mais corajoso dos admiradores do sobrenatural, pois ele trouxe para o vida real parte das atrocidades de Hannibal Lecter, confirmando assim mais uma vez a célebre frase do dramaturgo Oscar Wilde “A vida imita a arte”... 

Bem, Issei considera mesmo uma arte, como veremos.



Issei Sagawa
Por FaceNistro

Nascido em Kobe, no Japão, em 1949, Issei Sagawa era membro de uma rica e influente família, o que fez dele uma pessoa pouco dada a recusas quanto a qualquer coisa que achasse que lhe fosse de direito, tudo seria até aceitável, para vida de um rapaz mimado pelos pais, se não fosse pela soturna e tenebrosa vontade de Sagawa por provar o sabor da carne humana.

Quando pequeno teve um sonho que o marcou, no sonho ele e seu irmão estavam presos em um caldeirão, e ambos estavam prontos para servir de alimento para alguma pessoa. O que seria somente um pesadelo para alguns, para ele tornou-se uma das principais motivações para seu canibalismo.

Já na fase adulta, tornou-se um brilhante estudante de Literatura Inglesa, foi quando apaixonou-se por uma professora alemã, esta foi a primeira vez que ele confessa ter pensado: “Como poderei comer a carne desta mulher?”. Movido pelo sádico pensamento, numa noite invadiu o apartamento da professora e a encontrou dormindo completamente despida, no átimo sentiu-se dominado por um enorme desejo de feri-la, buscou em seu apartamento algo para golpeá-la, achando somente uma sombrinha, entretanto para a infelicidade de Sagawa a professora terminou despertando, e ele assustado, fugiu com medo da reação da mulher.

Após o ocorrido o pai de Sagawa buscou ajuda para o filho o levando a um psiquiatra que imediatamente alertou o pai do jovem que ele necessitaria de um tratamento emergencial, pois tornara-se demasiadamente perigoso, seu pai por sua vez, temendo tanto o filho, quando a repercussão que causaria aquilo, resolveu o problema enviando-o para que terminasse seus estudos fora do Japão, imaginando que assim, vivendo em outro país o jovem pudesse deixar sua assustadora compulsão.

Renée Hartevelt
O lugar escolhido foi Paris, onde Sagawa pode dar seguimento aos estudos, passado um tempo, tudo parecia transcorrer normalmente até que em 1981 ele veio a conhecer a jovem holandesa Renée Hartevelt de 25 anos, ela também uma aluna exemplar e poliglota causou uma paixão repentina em Sagawa que ficou praticamente encantado por ela. Os dois saíram algumas vezes juntos, dançaram, trocaram cartas, aquilo para o jovem estudante parecia uma verdadeira história de amor, a mais perfeita de sua vida. A jovem sempre o visitava, ensinando-lhe um pouco de alemão, este por sua vez a ensinava hábitos e costumes da cultura oriental. Numa noite Sagawa convidou Renée para um jantar em sua casa, queria que ela lesse a ele um poema em Alemão, pois havia preparado um gravador e gostaria muito de gravá-la recitando o belo poema, a jovem aceitou e como de costume foi ate a casa de dele, onde foi carinhosamente recebida e como era habitual, sentaram-se e tomaram um pouco de chá, junto algumas doses de uísque. Sagawa movido pelo desejo incontido terminou declarando seu amor pela jovem, ela porém apenas disse que o admirava muito, mas queria tê-lo apenas como um bom amigo. Sagawa ligou o gravador, levantou-se tranquilamente e pediu que ela lesse o poema que estava no livro, ela iniciou a leitura enquanto ele ficou andando pela sala, e por um momento parou atrás da jovem e puxou um revolver, que segundo Sagawa fora comprado para defesa pessoal, e atirou na nuca de Renée.

Representação do assassinato de Renée Hartevelt
Primeiramente Sagawa limpou a poça de sangue que ficara na sala e logo despiu a moça, em seguida foi ate a cozinha retornando posteriormente com uma faca, chegou próximo ao corpo despido de Renée e cortou-lhe um pedaço do seio esquerdo, em seguida o nariz, comendo ambos por conseguinte. Minutos depois Sagawa, tentou cortar parte da nádega esquerda da jovem, tendo dificuldade a princípio, sem embargo aos poucos foi conseguindo e ficou admirado ao ver que a gordura era semelhante a grãos de milho, provou alguns pedaços, mas não gostou, disse que não tinha sabor, então decidiu ir cortando mais profundamente até chegar a camada mais profunda de carne, cortou alguns pedaços e levou à boca e (pasmem) ficou maravilhado com o sabor, comparando-o a um delicioso salmão.



O sádico canibal ficou fascinado com o que havia feito, e com o olhar expressando total demência fitou os olhos embaçados e mortos da jovem, descrevendo a ela todo seu êxtase e satisfação ao sentir o sabor de sua carne.
Cozinhando a carne de Renné

Não satisfeito, foi até a cozinha pegou uma faca elétrica e picou pedaços da carne da jovem, algum tempo depois os levou ate a cozinha temperou com mostarda e resolveu cozinhá-los para o jantar, enquanto isso voltou a sala, sentindo que faltava algo, e mesmo após mutilar várias partes do corpo de Renné, Sagawa terminou fazendo sexo com o cadáver, alegando ouvi-la responder a ele um possível eu te amo: “Quando subi sobre ela um gemido saiu de seu corpo, foi quando respondi que também a amava”.

Separando as "melhores" partes do corpo de Renné
Após o ato monstruoso voltou a cozinha e continuou por mais um tempo aquele ato macabro, cortando e selecionando as partes que lhes eram mais agradáveis, e tirando fotos do corpo da jovem. Naquela noite dormiu com os restos mortais da jovem em sua cama. No dia seguinte, não demorou muito para corpo
começar a dar sinais de apodrecimento, Sagawa guardou em sua geladeira as partes que mais lhe agradaram, e chamou um táxi, em seguida terminou de desmembrar o corpo da jovem e o colocou em algumas malas, pediu ao taxista que o levasse ate um bosque próximo, e la chegando resolveu se desfazer dos restos mortais de Renée, porem o jeito desajeitado dele levantou a suspeita de um casal, percebendo isso Sagawa fugiu do local deixando as malas, mas logo foi identificado e preso pela polícia.


Peritos analisando as malas encontradas com as partes restantes do corpo de Renné.
Todavia ao contrário da história de Hannibal Lecter o nosso Canibal não ficou trancafiado, nem foi obrigado a usar uma mascara de ferro. Sagawa foi considerado um psicótico incurável e por meio da influência exercida por sua família terminou sendo solto em 1985, e para surpresa de todos tornou-se celebridade no Japão, fez participação em filmes, escreveu um livro onde relata com detalhes o assassinato, deu milhares de entrevistas e para finalizar com chave de ouro tornou-se capa de uma revista culinária, verdadeiramente Issei Sagawa é a face do sinistro.

Sagawa, hoje como uma celebridade no Japão.

Matéria feita por nossos colegas do Face Nistro
Comentários