9 de abril de 2013

Casa dos Escravos

Por Erik Nunes

Um episódio muito estranho que ocorreu comigo e alguns amigos e amigas, foi em uma velha casa de escravos da zona rural de minha cidade, uma área descampada, cheia de capim alto e lodo. Costumávamos nos reunir neste lugar para conversar, namorar e tomar vinho.

O que conta a lenda da casa, é que era usada para prender e açoitar os escravos na época colonial. Os mais velhos contam que muitos perderam suas vidas neste local. É um local afastado, não passam carros ou pessoas, não tem luz, de difícil acesso.

Era uma casa com dois níveis, o debaixo, onde ficavam os escravos, era amplo e sem janelas, só havia uma abertura do que seria uma porta grande. Tem uma escada pelo lado de fora que leva ao segundo nível, que era menor, e tinha algumas divisórias e pequenas janelas. A casa está com uma aparência de que logo iria ruir. Mas é uma construção muito forte.

Porem éramos muito corajosos, ainda mais perto das garotas. Ninguém daria o braço a torcer, dizendo estar com medo. Chegamos aos poucos no local. Os primeiros, dentre os quais eu estava junto, ouviram murmúrios e gritos de estrema agonia, mas devido ao forte vento da região não era possível identificar a direção de onde vinham. A noite já havia caído quando os últimos chegaram.

Começamos a conversar, contar historias e piadas, rir e brincar, tudo regado a muito vinho. Fizemos uma grande fogueira na parte de baixo da casa, assamos uma carne para o famoso “tira gosto”. E por volta das duas ou três horas da manha, alguns já se entregavam para o sono, outros estavam exaltados com a bebida, começamos a ouvir novos gritos e pedidos de socorro. Parecia que tinha gente correndo através do capim alto, fugindo. Todos ficaram alerta, para qualquer coisa que pudesse ocorrer. Podias se ouvir um choro ao longe, com a luz do fogo era possível se enxergar a uma determinada distância, que não era muito. Os barulhos começaram a ficar intensos, as pessoas assustadas com a situação se amontoaram em um canto da casa, e outros queriam sair e ver o que seria. Alguns dizem ter visto vultos na noite escura, outros não viram.

Porém o que todos viram, foi uma pequena bola de luz amarela que vinha da estrada de areia ao longe, pensamos ser uma moto, mas esta entrou na propriedade ignorando cerca, capim e lodo. Veio se aproximando da casa, e aumentando. Parou no limite da escuridão e da luz do fogo. Parecia ser uma grande bola de fogo, que não emitia luz alguma, mas estava ali parada na frente de mais de dez pessoas. Isso durou pouco mais que alguns segundos, que nos parecem uma eternidade. Quando ela se mexeu, foi tão rápido que quase não percebemos. E num ímpeto de curiosidade, saímos correndo atrás dela. Ela contornou a casa, e disparou para o campo, e assim sumiu. Nisso pararam os gritos e um frio muito grande tomou conta do local. E por mais que colocássemos lenha na fogueira, o frio não passava. Poucos conseguiram dormir.

Muitos se questionam até hoje o que seria aquilo.

A casa dos escravos ainda esta lá.

Fonte: Sobrenatural.Org

Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários