11 de abril de 2013

A Mulher de Salto

Por Jessica Ribeiro Paiva

O que vou contar a vocês me aconteceu na infância.

A família de minha mãe mora em Palmas-TO e fomos para lá nas férias uma certa vez (não me lembro ano). Enfim, era uma casa muito antiga, praticamente dentro do mato. Para chegar a cidade mais próxima era aproximadamente duas horas de viagem. Estava muito animada, iria conhecer o restante da família. Meus avós haviam falecido há muitos anos atras e não cheguei a conhecê-los.

Quando chegamos achei muito estranho o pessoal, eles pareciam viver sempre alarmados. Nem liguei muito pra aquilo e pensei que fosse o comportamento do povo da roça.

A noite havíamos nos reunido e como não havia energia elétrica, ficamos a base de lampião. Estava achando tudo muito divertindo, diferente pra mim, uma menina da cidade.

Mais foi a noite graciosa tornou-se um pesadelo. Todos foram dormir e eu também, mas algo naquela casa me deixava inquieta, não conseguia fechar os olhos e tinha a sensação que me observavam, ficava com os olhos bem abertos, mas não via nada, estava muito escuro.

Estava ficando com tanto medo que comecei a suar, minha barriga doia muito e estava com a sensação de peso em minhas pernas. Minha voz nessa altura já não existia mais. QUANDO consegui dormir, tive um sonho com uma mulher muito bonita com uma roupa tipo colonial, um lindo vestido, um rosto angelical, mas seus olhos eram tão negros tão tristes em meu sonho que perguntei pra ela porque estava tão triste, e ela me disse "que era o dia do seu casamento" não interrompi e ela prosseguiu contando. Ela me disse isso:

"Era o meu casamento, era pra ser o dia mais feliz da minha vida, mas não foi. Meu nome é Ana, nasci aqui nessa casa ou pelo menos no local onde ela esta. Meu pai era uma grande e terrível homem, era como o demônio, minha mãe era um anjo, não sei como ela pode se casar com ele. Não tive irmãos, minha mãe não podia dar filhos ao meu pai. Quando engravidou de mim, estava muito feliz dentro do ventre de minha mãe, era chamada 'de pequeno grande milagre'. Meu pai acreditava que eu seria um varão, mas não foi bem isso que aconteceu. Ele passou a vida me rejeitando por ser menina, mas minha mãe me amava e pra mim já bastava. Quando completei 17 anos, meu pai disse que eu iria casar em duas semanas, fiquei muito assustada, mas não poderia desobedecer meu pai. Meu casamento! Os preparativos estavam sendo feitos muito rápidos e estava ficando animada, imaginado quem seria meu noivo e se ele seria bonito, gentil e se me amaria. Sonhos de uma moça...

Duas semanas passaram e o dia chegou. Estava linda. Eu, uma pobre menina, estava ansiosa para ver quem seria meu marido. Quando entro na igreja dou te cara com Evarverd, um senhor de 38 anos, conhecido por ter sido viúvo três vezes. Ele era muito bonito, mas tinha nos olhos algo sombrio.

A cerimônia correu bem, dançamos, cumprimentamos os convidados e a hora de consumar o casamento se aproximou. Estava com medo, mas com expectativa  Ele me despiu com uma brutalidade incrível e me atirou na cama, se despiu, me deu beijos ásperos, me machucou e eu pedia pra ela parar, mas ele não parava e me agrediu e me possuiu com uma força que não pude aguentar. 

Eu chorei, mas ele não se incomodou com minhas lágrimas. Parecia um monstro! Até que por fim ele saciou sua vontade e deixou o meu corpo nú com marcas que infelizmente não era de amor. 

Continuávamos casados e isso acontecia toda noite, só que com mais intensidade. Me jogava contra a parede, um monstro e eu não podia contar nada a ninguém,  falar mal de meu marido era um crime. 

Em uma certa noite, ele parecia estar possuído, me violentou mais uma vez, só que não parou e me batia, me xingava, me humilhou completamente. Ele não sabia, mas estava grávida e perdi meu filho. Quando ele ficou sabendo, não me perdoou e pediu para um capacho dele me estuprar e tacar fogo em meu corpo.

Fui morta pelo homem com quem casei.

Hoje vivo aqui nessa casa e as pessoas não me veem, mas escutam os meus saltos batendo na madeira."

O rosto dela se transformou em uma criatura horrível, cheia de queimaduras e lágrimas corriam em seus olhos. Acordei de repente e por incrível que pareça, escutei barulhos de saltos pela casa. Foi incrível.
Senti pena daquela pobre moça.

Acreditem se quiser, mas parece que minha vida esta repleta de seres espirituais.

Fonte: Sobrenatural.Org

Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários