24 de abril de 2013

A Lenda do Espírito do Copo

Por Mariana Moreira

Esta é uma história que aconteceu em 1996, com um conhecido de minhas amigas. Trata-se daquela brincadeira do "espírito no copo", que com certeza todos já ouviram falar, e até se aventuraram a jogar.

Essas minhas amigas estavam na casa de um amigo e outras pessoas em comum, e num clima de bagunça, resolveram jogar. Então, segundo a lenda original, como não tinham nenhum copo virgem, o "purificaram" com água corrente e sal grosso, e deixaram secar ao vento.

Fizeram o tabuleiro redondo com letras, números, e inscrições sim e não. Sentaram-se em volta, colocaram o copo virado no centro do tabuleiro, deram-se as mãos, rezaram três "Pai Nosso", e concentrados fizeram a invocação:

- "Se há algum espírito neste recinto, que manifeste-se agora!". 

Num silêncio mórbido e tenso, eles esperaram... Nada aconteceu. Invocaram novamente:

- "Se há algum espírito neste recinto, que manifeste-se agora." - e desta vez continuaram - "Ó alma vagante, nos dê a chance de nos comunicar.".

De novo, nada aconteceu. Neste momento, um garoto de uns 14 anos, não se conteve e começou a rir. O que foi motivo de risada geral. Então, inusitadamente, o copo se mexeu. Todos calaram-se. O dono da casa, assustado, perguntou:

"Quem está ai?".

O copo seguiu até as letras formando "assassino". Congelado de medo, continuou e perguntou:

"Quem você matou?", e o espírito respondeu que "ninguém". Sem entender muito bem, perguntou novamente:

"Então o que quis dizer com assassino?". E não teve nada como resposta.

O tal menino de 14 anos, achando que tudo era uma piada, uma armação do anfitrião, perguntou debochando:

"Ai, Seu Assassino, quando é que eu vou morrer? Será que dava pra você ver no calendário ai do além?". 

Para surpresa dele e de todos, o copo se mexeu até o "H", depois "O", "J", "E". O menino, achando graça, gargalhou e perguntou:

"É mesmo? E como que eu vou morrer, hein?".

O copo respondeu: "S-U-I-C-Í-D-I-O".

Ele então começou a ficar irritado, quando gritou: "Vai a merda sua porra de espírito, não vou morrer nem à caralho", e num acesso de raiva, pegou o copo e o jogou com força pela janela. O apartamento ficava no 10º andar, e a janela dava para uma área vazia do prédio, um extensão do térreo. Então notaram que não houve nenhum barulho de vidro sendo quebrado ao cair.

Todos assustadíssimos foram olhar pela janela, e perceberam que realmente o copo estava intacto. O tal garoto parecia estar enlouquecido com o fato, debruçou-se na janela dizendo que aquele copo tinha que quebrar, que ele vai quebrar....Repetindo enlouquecidamente.

Foi quando seu olhar paralisou-se no copo, ele gritou e jogou-se. Caiu em cima do copo, que desta vez quebrou-se e seus cacos atravessaram seu corpo.

Hoje, minhas amigas podem falar abertamente deste caso, mas foi algo que demorou muito para elas se recuperarem. A cena foi realmente muito chocante. Não se sabe o que realmente aconteceu para o copo não quebrar, nem mesmo é claro o que fez o garoto ficar com aquele olhar desesperado segundos antes de se jogar, nem o motivo. É mais um mistério inexplicável.

O velório foi feito com o caixão fechado, pois o corpo inexplicavelmente se decompôs muito rapidamente e sua face e peito ficaram totalmente desconfigurados em função dos cacos. O enterro foi abafado e privado de visitantes.

Após o fato, espalhou-se um boato de que o espírito denominado "assassino" era o culpado de um homicídio que ocorrera há muitos anos com um antepassado do menino. A família não se pronunciou.

Até hoje poucas pessoas da redondeza tem coragem de jogar a tal brincadeira do copo por temerem o tal espírito do assassino.

Fonte: Sobrenatural.Org
Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários