7 de fevereiro de 2013

Dissertação sobre Ataque e Defesa Psíquica

Por Tetragrama*

Entraremos num assunto de certa importância dentro do contexto esotérico. Ataque e defesa psíquica é um tema de certo peso e por isso imprescindível comentar sobre ele. Os ataques que podemos sofrer são classificados da seguinte forma:

-Entidades
-Magia Negra
-Pessoas com ataques conscientes e Inconscientes

Dentro dessas três esferas principais se desenvolve outras inúmeras ramificações que não entraremos em detalhes por não serem relevantes.

As Entidades: São os inúmeros seres que habitam o plano astral, visto que esse é também o plano espiritual. Não que seja a totalidade do plano espiritual, mas uma pequena parte de si. Essas entidades podem ser classificadas em Entidades naturais e Entidades artificiais.


Entidades naturais são entes providos de vida própria, desejos, interesses e individualidade. Aqui encontramos os demônios das varias ordens, que evoluem em suas esferas de desenvolvimento. Apesar da crença difundida de que demônios são seres inferiores, ignorantes, desprovidos de entendimento e carentes de ajuda para encontrarem seu caminho para a luz. Eles são seres poderosos, sábios, conhecedores do bem e do mal e nem um pouco inferiores dentro do contexto do entendimento e ignorância. Um demônio nada mais é do que um ser que escolheu o seu caminho e, essa escolha foi por sua própria vontade. Escolheu o caminho do mal e consequentemente o seu desenvolvimento em suas varias esferas. Esses demônios são caracterizados e separados por ordens e, essas ordens por graus de poder e sabedoria. Cada ordem se caracteriza por sub graus até atingir o grau Máximo da ordem especifica. Então teremos demônios de um ordem ou grandeza, de dois ordem e três ordem. Os caracterizados pela um ordem são os mais antigos, poderosos e sábios que tem como subordinados os que estão abaixo deles em graus decrescente. Demônios de um ordem dificilmente se apoderam das pessoas numa possessão, pois o seu grau de força e poder é muito grande e o corpo físico não suporta a sua manifestação sem ser preparado antecipadamente, e certos demônios nem mesmo assim podem ter para si um cavalo (pessoa que incorpora uma entidade). Dificilmente um demônio de um e dois ordem atacara uma pessoa, primeiro porque não tem motivos para isso, segundo, não sentem atrativos pelos seres humanos. Na verdade somos repugnantes aos seus olhos. Os de três ordem também é difícil, pois tem outras preocupações mais interessantes. Então sobram os que estão abaixo destes, que não vem ao caso citar as suas denominações. Esses por sua vez, estão sobre o comando dos que estão acima. E são esses que causam possessões, são os responsáveis pelos trabalhos de magia negra e etc. Claro que tudo isso com a permissão de seus superiores. A magia é a arte de transformação, de causar mudanças na natureza, seja essa natureza física ou não. A magia trabalha no fundamento das coisas, na raiz da causa. Esse principio se aplica tanto a magia branca como a magia negra. O principio das duas é o mesmo. Portanto, a nomenclatura branca e negra é apenas para indicar o seu uso. Cada trabalho de magia negra tem uma sintomatologia própria, pois é de acordo com sua finalidade. Entretanto, alguns sintomas seguem um padrão, e esse padrão é devido a sua natureza de ação, ou seja, na estrutura energética do homem.

Forma pensamento gerada
pelos moradores do castelo
Então os primeiros sintomas se caracterizam por alterações no sono (pesadelos, sonhos ruins), alucinações visuais e auditivas (ver vultos, comumente pelos cantos dos olhos, em momentos de distração, ouvir vozes ou barulhos estranhos), cansaço sem motivo aparente, descontrole emocional (impaciência, irritabilidade, impulsividade exagerada), exacerbação dos instintos (os principais são o medo, reprodutor ou sexual), caracterizando por fobias, depressão, melancolia etc.

Vale salientar que no caso especifico esses sintomas devem aparecer de forma sem explicação, numa pessoa que nunca teve nenhum deles, e que de repente passou a ter de forma inexplicável. Às vezes ataques epiléticos ou convulsões que se encaixam na síndrome do "pequeno mal". Não quero dizer com isso que todos os ataques epiléticos têm sua causa especifica no contexto desse assunto, é sem duvida alguma e de verdade absoluta que alterações ou congênitas ou por lesões causam a epilepsia, sendo essa de nenhum modo á discutida aqui.

Esses são os sintomas mais comuns causados por trabalhos de magia negra. Claro que tudo depende da natureza do trabalho feito. Se for feito para causar a loucura, então sintomas específicos serão mais intensos, se for para causar alguma enfermidade, outros sintomas serão mais exacerbados. Para cada finalidade sintomas específicos.

Entidades artificiais são formas pensamento carregado com a energia do seu criador. Seja esse criador uma pessoa ou uma entidade natural. As formas pensamentos são criadas para qualquer fim, sejam esses bons ou maus. Tudo depende do desejo do seu criador. Pode-se criar uma forma pensamento para curar, ou para causar uma doença, para proteção e para ataques. Uma forma pensamento nada mais é do que um acumulado de energia com um objetivo especifico. Normalmente uma pessoa com pratica pode criar uma forma pensamento bem energizada e atuante em mais ou menos um mês. Já uma entidade pode criá-la em um ou dois dias ou ate mesmo instantaneamente dependendo do seu poder de manipulação energética. Apesar de tudo, é mais fácil se proteger de uma forma pensamento criada por entidades naturais do que criada por pessoas. Isso se deve ao fato que a forma pensamento carrega em si a vibração energética do seu criador e, além do mais, na maioria das vezes as formas pensamentos criados por entidades têm uma ponte de ligação energética com seu criador. Dessa forma acaba refletindo através dessa ponte tudo o que acontece com a forma pensamento, acontece também com seu criador.

Comumente as entidades espirituais usam as formas pensamentos e larvas. Uma larva é uma semente vibratória, um pensamento-emoção-chave ,que são lançadas nas suas vitimas como que preparar o terreno para posteriormente ter uma ação mais incisiva. Portanto, essas larvas grudam nos campos energéticos das vitimas e sua ação é minar esse campo causando rachaduras e influenciar a mente de forma sutil. Preparando dessa forma um ataque mais maciço. Todos nós temos um campo energético protetor e o objetivo das larvas é enfraquecê-lo. Uma pessoa com muitas larvas em seu campo energético e já sofrendo certa influencia delas costuma perder a vontade de tomar banho, pois a água sendo por si mesmo de natureza vamos dizer "limpante", as faz desgrudar por um momento, tornando a grudar logo em seguida. Só citei isso para que entendam que a natureza das coisas aqui no físico, também se repetem no astral. Uma forma pensamento pode também agir de forma diferente, mesmo mantendo o seu objetivo. Vou citar um exemplo que aconteceu comigo.

Representação de um trabalho de amarração
Fui vitima de um feitiço de amarração feito por uma mulher casada já faz um tempo (um bom tempo). Ela usou para isso os serviços de uma entidade chamada Pomba Gira, essa é uma entidade que tem sua vibração para todos os trabalhos de amarração, sexo, luxuria, prostituição etc. Bom essa mulher conseguiu fios do meu cabelo, e no meu cabelo amarrou sete fios dos seus, criou dessa forma uma ponte energética entre ela e eu, e os enterrou num lugar que todo dia eu passava. Bom, a minha atenção para ela, foi aumentando, e aumentando, e meus pensamentos começaram a ficarem mais focalizados nessa pessoa. Às vezes via vultos escuros, tinha certos sonhos, às vezes um cheiro estranho exalava de mim e outras pessoas podiam sentir. Desconfiei de algo estranho e fui verificar. Era quase certeza que estava sendo vitima de algo ruim. Isso se comprovou. Estava eu num domingo de manha,  tinha acabado de se levantar, estava na cozinha, quando de repente do teto caiu algo preto, cheio de pernas, o vi por momentos, caiu do teto e entrou em meu braço direito, o senti por momentos nos meus dedos e depois  tudo ficou normal (materialização da forma pensamento ou larva) Naquela noite tive sonhos estranhos, fiquei sonâmbulo, coisa que nunca havia acontecido. Nesse tempo não tinha muita habilidade em sair em astral, sendo que minhas saídas não eram tão firmes, assim, não sendo possível verificar por mim mesmo (cito aqui o ocorrido para exemplo de um ataque de magia negra). Mas já tinha desenvolvido certas capacidades energéticas que me possibilitavam causar o transe energético. Conversei com minha esposa que sempre me ajudava, lhe contei meus receios e resolvemos averiguar. Feitos os preparativos específicos para essa empreitada, pois de certa forma teria algum risco para ela, já que estaríamos propensos a encontrar algo diabólico.

Coloquei-a em transe, nos ligamos e a tirei do corpo. Em astral ela consciente ligada em mim, começamos a procurar. Logo encontramos o local onde estavam os cabelos. Ali também encontramos uma mulher, os cabelos longos cobriam-lhe o rosto e em volta dela sete homens. Era a entidade Pomba Gira e seus sete maridos (como é conhecido esses homens). Ela segurou minha esposa e disse que eu seria dela, que ela sempre conseguia o que queria, e mais um monte de coisas. Soltamos-nos deles e voltamos. Tinha certeza absoluta do que receava. Era vitima de magia negra e consequentemente dessa entidade. Nesses casos a força de vontade é de muita valia, apesar de ter perdido um pouco da sua força, pois eu  tinha descoberto o feitiço, ele ainda tinha efeito em mim. A força de vontade nessas situações é de suma importância para não permitir a influencia sobre minha mente, pois, os pensamentos e desejos dessa influencia eram constantes. Defumei minha casa com enxofre para eliminar as larvas que por ventura estivessem ali, pus também enxofre nos sapatos, para que a vibração do enxofre passasse para meu campo energético e assim desintegrasse as larvas. Os efeitos foram ótimos. Apesar de tudo o feitiço continuava, pois não consegui encontrar meus cabelos. A ponte energética ainda estava latente, e enquanto fosse assim, não seria possível se ver livre totalmente. Como não bastasse, essa mulher que fez tudo isso, começou a me odiar, pois não estava tendo os efeitos que ela esperava ter com o feitiço.

Então começou a fazer outros cada vez mais fortes, ela gastou o valor equivalente a um carro novo, pagando para feiticeiros fazerem isso. Ela não sabia que eu sabia de tudo, e não falei para ela. Evitava tocar nela, ficava sempre de prontidão quando ela estava por perto, evitava pegar qualquer coisa dela por impulso, dessa forma tudo o que fazia para mim perdia o seu efeito.

Como ela não tinha mais nada meu, os feitiços que fazia pra mim, não tinham poder de atuação, pois, para dar certo eu teria que aceitar por impulso. Por exemplo, uma bala, um presentinho, qualquer coisa, eu teria que aceitar isso impulsivamente. Ou seja, aceitar sem antes pensar. O que era de comer não aceitava mesmo, mas presentinhos eu aceitava, mas antes de tocar o objeto, eu tomava consciência daquilo, e orava em pensamento "Deus toque com suas mãos esse objeto e que todo o mal contido nele seja desfeito". Depois pegava o objeto normalmente e no caminho de casa jogava ele fora, e enquanto caia dizia "que todo o mal se dissipe ao vento". E ela esperava os resultados desses feitiços, e como esses não vinham, ficava com mais ódio ainda. E eu sempre a tratando bem, como se nada estivesse acontecendo. Mas o feitiço dos cabelos ainda continuava ativo, fraco sim, mas ativo. Mas como já fazia algum tempo sem realizar o seu objetivo, ele se voltava contra o seu idealizador. Ela passou a sentir o que ela queria que eu sentisse por ela. E isso a deixou com mais ódio, ódio de morte. Todas as noites eu e minha esposa no astral tentávamos ter acesso aos cabelos, mas sempre a pomba gira nos impedia. E a mulher continuava a pagar por feitiços cada vez mais fortes, feitiços de destruição e de morte tanto para mim quanto para minha esposa. Perto dessa mulher tinha que estar sempre atento, sempre de sobressalto, evitando que tocasse em mim, pois o toque dela faria o primeiro feitiço se fortalecer, pois, tínhamos uma ponte energética. Mais ou enos por um ano ficamos assim. Em seus feitiços ela não usava mais as entidades corriqueiras, mas sim mestres negros, demônios mais poderosos. Às vezes via homens encapuzados me perseguindo, apareciam e sumiam, me perseguiam em sonhos, apareciam em casa. Então numa noite já sem saber o que fazer para parar tudo isso, veio-me uma luz de entendimento. Pus minha esposa no astral elevando-a acima da cidade, flutuando ali no céu estrelado invocamos o anjo Adonai, não houve nenhuma invocação especial, apenas fiz com que ela se concentrasse uma concentração perfeita e chamou em voz alta Adonai... chamando....chamando....chamando. Por um bom tempo ficamos assim, ate que ele veio, surgiu como um homem normal, rosto bonito (descrição dela), olhos que transpareciam muita bondade e misericórdia.

Conversamos, expomos a situação e pedimos sua ajuda. Ajudou-nos fazendo a parte que lhe cabe e nós a nossa. Tempo depois tudo normalizou e a vida voltou ao normal.

Vamos falar um pouco sobre um assunto interessante e que no mínimo causa certo medo e apreensão aos viajantes iniciantes: Entidades do mundo astral. Isso pode, e até mesmo deve causar certo receio devido ao fato de que nós não estamos familiarizados com esse tipo de assunto.

Sempre ouvimos histórias de fantasmas, espíritos, assombrações e coisas afins e creio que todos nós ficamos sempre curiosos e sem duvida com medo. Mas é chegado o momento de falarmos mais detalhadamente sobre isso, pois se você deseja ser um viajante astral deve conhecer o terreno onde pisa ter informações e conhecimento. Mesmo que esse conhecimento seja meramente intelectual, pois, entendimento propriamente dito você somente adquirirá por experiência própria. E isso só depende de você. Então vamos direto ao assunto. Mas antes quero lembrar que não sou o dono da verdade, nem é essa a minha pretensão. Os fatos e comentários são frutos da minha experiência pessoal. O que vivenciei e experimentei por mim mesmo, e os estudei conforme minha capacidade para isso.

Minha primeira experiência com esses seres foi há muitos anos atrás. E essa experiência foi o fator impulsionador para iniciar os meus estudos ocultistas.

Era de tardinha já umas 18 horas, estava chegando em casa, há uns 100 metros do portão, surgindo do nada, vi uma pessoa em frente ao portão. Não á vi nitidamente ao ponto de poder distinguir sua fisionomia, mas o suficiente para visualizá-la como um todo. Era uma mulher, as roupas rasgadas em tiras.  Estava parada no portão. De inicio nossa mente nesses casos não capta seu sentido instantaneamente, sempre demora alguns segundos, demora alguns momentos para se dar conta do fato. Então olhei para aquele vulto, e me distrai por alguns segundos e quando olhei novamente já não estava mais lá. Bom ai então caiu à ficha, e me assustei. Fiquei um tempinho pensando nisso e deixei de lado. Então o tempo passou, as horas passaram e na hora de dormir me deitei normalmente. Estava com os olhos abertos. Então comecei a ouvir um ruído  estranho, como o de baratas em cima de um  plástico, ou como o barulho de um tamborilar de dedos sobre a mesa, mas bem baixinho. Ora, esse barulho foi se aproximando e se aproximando e eu senti uma espécie de energia ou presença se aproximando de mim. Não via nada, mas sentia isso se aproximar. Então de repente senti um peso no peito. Um peso que sufocava. Fiquei imóvel sem poder mexer um único dedo nem piscar a única coisa que podia fazer era pensar. Então ficou assim por um tempo, e depois saiu de cima de mim. Saiu pela janela, pois essa deu um grande estalo tão alto que acordou o povo de casa. Pra finalizar aquela coisa vinha todas as noites na minha cama. Sempre acontecia a mesma coisa, sempre as mesmas preliminares, os mesmos acontecimentos. Nessa historia que tirei do velho baú das minhas memórias foi só um prólogo para entrarmos no assunto.

O mundo astral ou dimensão astral é o mundo espiritual. Claro que não é a totalidade do mundo espiritual, mas uma parte dele. Ou seja, "existe muitas moradas na casa do meu pai". Mas nesse mundo vive de tudo, bom ou mal, anjos e demônios, elementais da natureza, elementais artificiais, formas pensamentos energizada, desencarnados, pessoas conscientes que saem do corpo, pessoas inconscientes que sonham espíritos inferiores, espíritos superiores etc. Mas o que esses seres querem? Esses seres querem  aquilo no qual se identificam. Os que se identificam em ajudar as pessoas ajudarão. Os que se identificam a prejudicar as pessoas prejudicarão. No fundo sempre se esta em busca de poder e força. Uns buscam o poder no amor. Outros no ódio. Mas enfim todos buscam a sua evolução no caminho que escolheram.

Conscientes ou inconscientemente somos vitimas dessas entidades. Principalmente das entidades conhecidas como vampiros energéticos. Esses são seres não maioria das vezes desencarnadas, espíritos das esferas inferiores ou mesmo pessoas com capacidade de sair em astral. Mas porque fazem isso? Simplesmente porque a nossa energia é mais refinada. O nosso organismo é um complicado laboratório energético que capta e transforma em sub energias cada vez mais sutis, e alem do mais essas nossas energias tem, pode se dizer um certo gosto, ou seja, é carregada com as vibrações que nós nos identificamos. Por exemplo, uma pessoa que tem sua mente presa somente em pensamentos e desejos de sexo, logicamente passa esse desejo para suas energias que ficarão impregnadas com esse desejo. E, portanto elas vibrarão nesse aspecto. Em consequência atrairão entidades com as mesmas vibrações. Essas energias impregnadas com essa vibração são um deleite para entidades afins. Mas mesmo que não sejamos uma dessas pessoas às vezes num momento de fantasia erótica ou excitação passamos esse desejo, ou seja, a vibração desses desejar para o nosso corpo energético. Então essas energias ficam impregnadas, o que também vai atrair essas entidades. Entretanto, não são apenas pensamentos e desejos luxuriosos, isso acontece também com pensamentos e desejos de inveja, orgulhos, ódio e todos os sentimentos negativos, que querendo ou não todos nós temos, uns mais outros menos. Pois faz parte da natureza humana. Como se não bastasse esse roubo de energia, muitas vezes essas entidades nos acompanham como verdadeiro parasita astral, influenciando nossa mente com o desejo que caracteriza sua vibração. Transformando sua vitima numa mera marionete que serve apenas para prover sua alimentação energética. Aqui temos então os alcoólatras, viciados em drogas, viciados em sexo, os de personalidade violenta, os cleptomaníacos, taras sexuais (aqui temos a necrofilia como exemplo) que é caracterizado pelo desejo sexual por defuntos. Esses tipos de pessoas são influenciados especificamente por um demônio da lama e podridão chamado savana que habita os cemitérios e que é também o demônio dos vampiros.

Mas voltando ao assunto.  Uma duvida que martela nosso entendimento: Estamos à mercê dessas entidades? Sim e também Não. Como? Ora, tudo depende de nós. Se permitirmos será Sim. Se não permitimos será Não.

Vamos entender como funciona a vampirização. Não vamos nos ater nos preâmbulos desnecessários, vamos direto aos fatos, as vias de regras, ao modus operandi do procedimento em si mesmo. Pressupomos que a pessoa já tem alguma prática em sair do corpo, que já obteve de certa forma uma facilidade em absorver energias com seus chakras. Então isso de absorver energias já esta fixado em sua mente.

Nossos Chakras
Ao sair do seu corpo você passa a fazer os exercícios de absorvimento energético no astral, você imagina que o seu corpo suga as energias do ambiente. Tem que sentir sugando mesmo como se fosse um ralo. De inicio você imagina que esta energia entra em você, essa primeira imaginação é necessário para que sua mente faça a coisa toda acontecer. Após essa imaginação primária o resto do procedimento acontece por si mesmo. Você vai sentir sugando energia do ambiente astral como uma esponja. Literalmente você passa a sentir isso como ondas. Se imaginar que entra pelos seus braços, vai perceber que quando essa energia entra neles, ela tem a forma de argolas luminosas que entram por suas mãos e sobem pelos braços. Se imaginar que entra pelo corpo todo, também será como argolas luminosas de energia. Você se sentira forte e cheio de energia. Então já bem pratico nesse procedimento preliminar.

Vamos passar para a segunda fase, ou seja, a vampirização energética dos seres humanos. No astral as pessoas vivas têm seus centros energéticos brilhantes, quando bem carregados e em harmonia, para que você possa ver de forma nítida esses centros. Tem uma técnica muito usada pra isso, usada no inicio, quando ainda não se tem pratica. Essa técnica dá-lhe o nome de "visão forçada" que consiste em ver com mais nitidez as coisas no astral. A técnica é essa: "o mais simples é fazer o mesmo que se faz aqui no físico quando se quer enxergar melhor ou focalizar a atenção em algo mais detalhadamente. Aqui no físico quando queremos ver algo mais atentamente à gente arregala mais os olhos para aquilo em questão, sobrancelhas mais arqueadas, olhos mais abertos, arregalados mesmo, mais ou menos da forma quando tomamos um susto. Esse estado é como uma espécie de gatilho para a mente o que faz com que ela perceba o que esta oculto na pessoa. Supomos que em astral você encontre uma pessoa, aparentemente normal em todos os sentidos, mas ao arregalar os olhos na intenção de ver mais detalhadamente essa pessoa, naturalmente você verá ela em seu estado natural e não aquilo que ela quer que você veja. No caso em questão se ela não for uma pessoa, mas um espírito mal tomando a forma de uma pessoa você saberá, pois poderá ver sua forma, ou aparência verdadeira.  Nesses casos costuma-se ver ela em duas formas numa só tronco para cima, forma humana, tronco pra baixo, forma animal. O inconveniente dessa técnica é que se você não estiver bem fixo no astral, os seus olhos físicos vão se abrir também então usando essa técnica poderemos ver com grande nitidez os centros energéticos da pessoa. Consequentemente veremos se esta em harmonia ou não, veremos quais pontos estão represados e com pratica podemos ver se esta doente ou não. Se tem algum desequilíbrio, e quais pontos precisam ser trabalhados. Até aqui creio que já perceberam que o entendimento da vampirização energética também nos proporciona o conhecimento da cura, pois o fundamento é o mesmo. Vampirização e cura são os dois lados da mesma moeda. Com um você causa doenças e com outro você cura as doenças.

Voltando ao assunto sobre vampirização iremos nos aprofundar um pouco mais sobre isso. Nos exercícios anteriores vimos como absorver energia do astral, aprendemos como ter uma visão mais ampla que consequentemente nos capacita a visualizar os centros energéticos humano No astral. Então agora passaremos para a próxima fase, ou seja, sugar energia ou doar energia. Lembrando que o modus operandi do processo, tanto serve para um quanto para o outro. Tanto para o bem quanto para o mal. Então pressupondo que estamos analisando a pessoa que será a vitima ou o paciente. No inicio teremos um pequeno obstáculo a transpor. Esse obstáculo é o campo energético. Uma espécie de capa de energia que esta em volta de todos os seres vivos. Essa capa dá-se o nome de aura. As cores não entrarão no mérito agora, pois não vem ao caso para o experimento. Basta saber que toda aura pode ser penetrada, umas mais outras menos graus de dificuldade. Então o método mais comumente usado pela maioria das entidades para penetrar nesse campo é conhecida como "Cunha Energética". O nome por si só já diz tudo. Uma cunha. Essa cunha pode ser feita com as mãos, palma sobre palma. Penetre as mãos assim no campo áurico da pessoa. Abrindo as palmas das mãos separando as mãos deixando apenas os dedos unidos formando um >. Dessa forma imagine energia saindo das suas mãos e plasme essa energia com essa forma. Force para dentro e adentre. Se isso for feito com a pessoa alvo acordada ela comumente sente uma tontura, certo mal estar passageiro. Feito isso você terá acesso aos centros energéticos, ao corpo vital. Então escolha o centro mais luminoso. Na maioria das pessoas esse centro é o ponto do umbigo, pois é nesse chakra que se têm as junções das energias. Enfie sua mão nesse ponto e sugue a energia, usando aqui a mesma técnica de absorção citada anteriormente. Pronto você esta vampirizando a pessoa, esta tirando energia vital dela. O processo de cura se da do mesmo jeito. A única coisa que muda é que ao invés de sugar energia você vai suprir o local que esta precisando. Ou harmonizar essas energias para que corram uniformes. Todos os órgãos do organismo humano são supridos por essa energia, então trabalham saudavelmente. Um bloqueio no nadis ou artéria energética que supre determinado órgão vai ocasionar-lhe um mau funcionamento e consequentemente uma doença ali. Aqui esta o modus operandi de como uma doença pode ser causada por alguma entidade. Uma entidade que por um trabalho de magia vem a causar uma doença na pessoa enfeitiçada vai trabalhar nesses nadis. Se for uma doença no estomago, ela vai criar uma espécie de nódulo repressor no nadis especifico. Dessa forma cria-se uma circulação deficiente ocasionando assim uma doença, e a gravidade dessa doença no órgão escolhido vai depender exclusivamente desse nódulo repressor. Quanto menos energia circulando no órgão, mais grave será a doença. Claro que os seres que se presta a isso podem usar diversos modos, mas independente de quais sejam, sempre tem que mexer ali. Ora, para curar tal anormalidade basta apenas desfazer o nódulo repressor normalizando a circulação energética.

O homem é composto 70% de água. Temos água em nosso corpo e também metais. Através de múltiplos processos orgânicos, água e metal da origem ao magnetismo. Essa força é natural do corpo humano, é o magnetismo humano ou como alguns acham melhor o magnetismo animal. É, portanto esse magnetismo, essa força inerente ao ser humano à primeira energia física. Ela se funde com outros subtipos de energia transformando-se em energia vital. Temos então o campo vital que envolve todos os seres vivos. A energia vital mesclando-se com outras subcategorias de energia transforma-se no campo energético. Esse campo energético pode às vezes ser visto de cor cinza, com algumas polegadas de espessura contornando o corpo físico. Esse campo energético novamente com outras energias, inclusive a mental e emocional, da origem a aura. A aura como uma capa envolta do corpo físico, pode nos mostrar muitas coisas sobre a pessoa, de acordo com suas cores características. Bom, todas essas energias, esses campos, são sensíveis ao nosso estado psíquico, seja esse mental ou emocional. Sendo sensíveis, isso quer dizer que podemos interagir de forma consciente sobre isso. Quando pensamos temos energia mental, sendo a energia mental fazendo parte da constituição desses campos, é através da mente que podemos interagir e de certa forma controlar esses campos. A mente pode abrir e também pode fechar uma abertura nesse campo. Isso tanto pode ser feito de forma consciente como inconsciente. As formas inconscientes são derivadas de certos gatilhos subconscientes que devido a ganchos instintivos, ou seja, pequenos arranjos de certos instintos com polaridades afins criam uma espécie de porta automática igual àquelas vistas nos aeroportos, só que ao invés de se abrir quando sente a presença de alguém, essa porta se abre frente a certos gestos. Mesmo que esses gestos sejam inconscientes eles abrem essa porta ou janela nesses campos. Nesse preâmbulo introdutivo pode-se entender que podemos abrir nossos campos energéticos mesmo que inconscientes. Se assim é, isso quer dizer que a ignorância desse fato, pode nos acarretar diversos problemas. O ataque psíquico é justamente aqui que traz os mais diversos dissabores. O ataque psíquico não é somente caracterizado por ataques e roubos de energia no astral, mas também pela transformação vibracional dessa energia aqui no físico. Essa transformação pode ocorrer diante de uma palavra, um gesto, ou qualquer coisa que nos machuque ou nos traga desconforto emocional. Pessoas orgulhosas que humilham os demais, as invejosas que não suportam ver o bem do próximo, as que só tem em suas bocas palavras negativas etc. Todas essas coisas nos afetam, mental, emocional e energeticamente. E isso é considerado um ataque psíquico. Entretanto, esse ataque só terá efeito se permitimos. Pois não é a palavra ou gesto que caracteriza o ataque, mas sim o que causa em nosso interior. O poder não esta na palavra (dentro deste contexto) ou gesto, mas sim naquilo que aceitamos e permitimos que essa palavra ou gesto cause dentro de nós. Uma palavra às vezes tem o poder de matar, de desanimo, de tristeza, de desesperança, de acabar emocionalmente com uma pessoa. Não é a palavra em si, mas a nossa receptividade em relação à palavra dita. Escutamos isso e aquilo, e instintivamente aceitamos.

Uma palavra pode abrir o campo energético e isso de certa forma é muito usado, mesmo que inconscientemente. Um exemplo (sem duvida me criticarão por isso) supõe que uma pessoa conhecida ou não, um amigo ou amiga, chegue ate você e de maneira inesperada lhe diga de forma seria " Estou apaixonado(a) por você". Seria uma simples frase se não fosse o impacto que ela lhe causaria internamente. Mas que mal tem isso, o que pode ter por trás de uma frase assim, dita de repente, sem mais sem menos. Pode não ter nada, como também pode ter. Mas o certo é que se a pessoa for mal intencionada ela pode usar essa abertura causada por essa frase, para vários tipos de feitiços de amarração. Porque isso? Ora a frase lhe causou um impacto emocional, querendo ou não você vai pensar na pessoa, ela lhe chamou a atenção e querendo ou não, gostando ou não, quando ver ela, vai sentir algo. Pronto, esta criado uma ponte psíquica entre ela e você. Seu campo energético esta aberto para essa pessoa.



* Tetragrama é teólogo com especialização em Demonologia, Ocultista, Hipnólogo, Mestre Reiki e Tarólogo. Autor dos livros “MANUAL PRATICO DE VIAGEM ASTRAL” e “PRATICAS OCULTAS”. Com diversos artigos no blog www.viagemalem.blogspot.com.br


Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários