14 de fevereiro de 2013

Análise - "Terror em Silent Hill 2"

Em 2006 fomos surpreendidos com um filme chamado Terror em Silent Hill.

Os fãs de videogames na época já conheciam o porque da euforia em querer ver este filme, pois ele era baseado num famoso jogo de Playstation.

E foi um tremendo sucesso de crítica, e segundo os fãs do jogo, foi a melhor adaptação cinematográfica de um jogo de videogame. O filme arrecadou U$ 50 milhões somente nos EUA.

Então seis anos depois, em 2012, veio a continuação: 'Terror em Silent Hill 2' (Silent Hill Revelation 3D), e todos ficaram ansiosos para ver talvez uma adaptação do segundo jogo (franquia que já teve mais de cinco jogos produzidos).

Vamos a Sinopse: Heather Mason e seu pai sempre fugiram das malignas forças que eles não conseguem entender. Agora, na véspera do seu aniversário de 18 anos, o pai de Heather misteriosamente desaparece. Assombrada por pesadelos, ela pode ficar presa em Silent Hill para sempre.

Michael J. Bassett, diretor muito ruim de Silent Hill 
Revelation 3D (Foto: Eric Charbonneau – © 2012
Eric Charbonneau – Cortesia: gettyimages.com /
Vista em: http://www.imdb.com)
Infelizmente, para você que está lendo esta crítica com uma forte esperança de ver um bom filme, pode ficar decepcionado. Porque o filme não chega nem a 10% do que foi o primeiro.

Apesar dos mesmos atores, a mudança da direção faz uma grande diferença, o diretor do primeiro filme não é o mesmo do segundo. Quem dirige este é Michael J. Bassett.

Eu não gosto de entrar nos méritos de direção, mas esse diretor é muito, mas muito ruim. Ele pode até entender dos ângulos de câmeras, mas não sabe o principal, contar uma boa história através delas.

O filme começa muito, mas muito confuso. Parece obrigatório você ter acabado de ter visto o primeiro filme, ou quem sabe, ter jogado a franquia de jogos de Silent Hill.

Sean Bean, renomado ator que
interpretou, por exemplo, Boromir em
O Senhor dos Anéis.
A história começa a se desenrolar lá para os trinta minutos. Ai você entende o porque das coisas de ter visto antes, mas ainda assim, existem vários erros. Fora que o filme é totalmente previsível.

Tenho dó do Sean Bean (ator renomado que fez a série Game of Thrones, Senhor dos Anéis), que faz uma participação em um filme que não o merece.

Tem alguma cena a se destacar positivamente? Sim. A cena no hospital dos sons é muito bem bolada, mas só.

Cena no hospital dos sons. Muito bem bolada... mas só.

Vale a pena ver esse filme? Nem pensar. Fique com a boa lembrança do primeiro filme. Passe muito longe deste e da possível seqüência que deixaram em aberto no final.

Abaixo, o trailer do filme:




Comentários