16 de janeiro de 2013

Susto na Estrada


Por Sybyylla

Fui a uma festa em uma chácara afastada da cidade, em um local ermo e pouco iluminado, depois do último bairro. Pra se ter acesso a esta chácara, teria que seguir uns 8 km por estrada escura e sinuosa. Na ida, tudo foi muito bem. Fomos cedo eu e meus filhos pequenos. Seria uma festa a fantasia e estávamos animados, e realmente foi uma festa muito boa, tanto que me esqueci das horas e quando dei por mim já era alta madrugada.

Reuni as crianças, que ainda brincavam animadas, e fomos pro carro. Olhei no relógio, eram 3h15, e conforme eu ia dirigindo, a estrada e a escuridão me deixaram com medo. Coloquei o farol do carro alto pra iluminar longe, mas sinceramente, mesmo estando de carro, com as portas trancadas e janelas fechadas, ainda sentia medo. Meu filho mais velho ia comigo no banco da frente. Fiz uma curva da estrada, e com o farol alto, eu pude ver lá na frente, a uns 300m, uma coisa no meio da estrada. Logo eu falei:

- Mas o que é aquilo?

E conforme ia chegando mais perto, vi que a coisa estava sentada no meio da estrada, no meio do nada, numa escuridão total!

Continuei com o carro e pisei mais ainda. Pensei que com o farol alto e o barulho, aquilo fosse sair, mas nada disso. Sentado no meio da estrada, em total escuridão estava um cachorro. O carro seguia pra cima dele, e o que ele fez foi olhar por sobre o farol do carro diretamente pra mim! E foi entortando a cabeça pro lado sem desviar o olhar. Meu filho deu um grito, eu desviei o carro em um golpe, porque aquilo na estrada não só não teve medo, como também não ia sair dela.

Depois de ter passado pelo cão, a má impressão que ficou por ele ter olhado diretamente pra dentro do carro, e o pior, ele olhou acima do farol, como que querendo ver quem dirigia. Não estou enganada, o bicho olhou pra mim!

Foi muito sinistro. Até hoje sinto um calafrio quando me lembro daquele cão virando a cabeça sem desviar os olhos de mim, sem medo algum, sentado ali no nada, em uma estrada completamente escura.

Dias destes, meu filho ainda me lembrou do que tínhamos visto e comentou sobre o estranho modo como o cão olhou pra dentro do carro.

Sinceramente? Não quis por medo em meus filhos, mas a impressão que eu tive é que aquele cão, com corpo de cão, tinha era cara de gente! E olhava como gente!

Nunca pisei tanto em um acelerador como naquela madrugada. Se estivesse em um rally, certamente tinha vencido, mas seja o que for ficou pra trás e lá eu não volto mais...

Fonte: Sobrenatural.Org


Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários