16 de janeiro de 2013

Foi caso de Possessão?


Por Rafis Riuuzaki

Olá a todos. Esse é meu primeiro relato, e que na verdade não aconteceu comigo, mas com meu primo, e tenho como provar com 100% de veracidade os fatos ocorridos, e até testemunhar. Só não tenho como comprovar se foi caso de possessão espiritual ou demoníaca, ou qualquer outra coisa. Peço que cada um tire suas próprias conclusões e comentem. Pois bem, vamos ao relato:

Obs: Todos no relato terão nomes fictícios para preservar a integridade dos envolvidos

Meu nome é Humberto moro em Goiânia – GO. O relato se inicia quando Jorge, um primo meu por parte de mãe, de um total de cinco irmãos, resolve se mudar do interior do estado para morar com a gente por uns tempos aqui na capital goiana. Aqui depois de algumas semanas, ele arranja um bom emprego e uma namorada, e logo resolve se mudar para a casa da mulher.

Como as coisas iam bem para meu primo Jorge, ele resolve convidar seus irmãos para virem para Goiânia também tentar a sorte. Nisso mais dois de seus irmãos vieram, o Felipe e o Marcos. Como deu para perceber, sou de uma família humilde e não tínhamos como acomodar mais duas pessoas na nossa casa por muito tempo, por isso, logo no segundo dia os rapazes sabendo de nossa situação, resolvem alugar um kit net no mesmo setor que o nosso para morarem. Minha mãe prometeu a minha tia ir sempre ir lá ver os dois e ver como as coisas estavam.

O meu primo Felipe conseguiu emprego fácil em uma confecção de roupa, já o outro e mais velho, Marcos, como não conseguira emprego era sustentado aqui pelo seu irmão mais novo. De manhã, o Felipe saia para trabalhar e só voltava à tarde, nisso o mais velho ficava a tarde inteira em casa fazendo não se sabe o que, pois não conhecia ninguém no setor, além de minha família e seu outro irmão que morava com a namorada. O meu primo Felipe começou a perceber um comportamento estranho de seu irmão, que sempre foi o mais acirrado dos cinco irmãos, pois agora ele dormia o dia inteiro, não tomava mais banho nem trocava de roupa, e urinava na cama.

Meu primo mais novo logo entrou em contato com minha mãe, porque não sabia como deveria agir naquela situação. Felipe passou lá em casa durante uma manhã a caminho de seu serviço, e pediu para minha mãe ir dar uma olhada no rapaz que sempre teve muito vigor, e não gostava de ficar parado. Minha mãe chegando lá, ficou muito chocada com a situação que presenciou. Ele imundo, e sem mais nem menos meu primo começou a tipo zombar de mãe, com uma voz que não parecia a dele. Minha mãe, que é muito religiosa, percebeu na hora do que se tratava, mas não estava preparada para lidar com a situação com que se deparou. Disse para ele que precisava ir, depois de ter ficado menos de 3 minutos dentro da casa, e que voltaria mais tarde. Meu primo disse que ia com ela, e do jeito que ele estava, todo imundo e anormal, começou a seguí-la. Minha mãe temendo a situação, andava depressa e meu primo atrás falando coisas do tipo:

“Este cavalo está sofrendo, sofrendo muito”, “Eu já mostrei para ele o seu futuro lar, lá é quente e ele chorou muito quando foi lá primeira vez”.

Minha mãe já estava muito nervosa nessa hora, quando meu primo sem motivo nenhum começa a xingar umas crianças que brincavam na rua. Ele as xingava dos piores palavrões e quase que bateu em um menino que  estava entre eles. Minha mãe conseguiu o conter e levá-lo para a porta de minha casa onde o mesmo começou a urinar no meio da rua, com várias pessoas passando pelo local. Ele ria, ria muito e bem alto, e sempre se referindo a ele mesmo na terceira pessoa.

Sendo católica, minha mãe sabia da burocracia da igreja para se chamar um padre para a situação, então vai até uma igreja evangélica e solicita a ajuda de um pastor, que chega e começa a orar, mas parecendo não ter controle nenhum diante da situação. Liga e chama mais pastores, enquanto os pastores chegavam meu primo começou a falar coisas a respeito do primeiro pastor que pareciam ser verdade, pois o pastor ficou muito irado, e já ia partindo para cima do meu primo no intuito de agredi-lo. Nisso Marcos só ria. Depois de uns 15 minutos, chegaram mais três pastores, dois homens e uma mulher, para tentar exorcizá-lo. Para a pastora que ali chegara, ele a xingava de tudo e ria quando ela começava a orar, ele virou para ela e disse que ela mesma sabia que não estava em condições de fazer aquilo pois estava em falta com Deus, aparentemente ela estava em pecado. Nessa hora, vieram os outros dois pastores, que com muita oração e sem tocar sequer uma mão dele, conseguiram deitá-lo no chão. Meu primo parecia que ia desmaiar, mas abria o olho de repente e ficava em pé novamente. Isso se deu por umas quatro vezes, a pastora ali presente disse para minha mãe que meu primo estava com uma legião de demônios, e quando os pastores conseguiam expulsar um, vinha um mais forte e tomava o controle de seu corpo. Isso se deu por mais ou menos uma meia hora, quando aconteceu a tragédia do relato.

Meu primo pareceu mais inquieto do que já estava, ele estava muito louco quando desceu correndo a rua, mais ou menos uns 30 metros e reparou que subia um pastor da Igreja Assembléia de Deus. Já idoso, não sei a idade, que nada sabia dos acontecimentos, ele estava distraído pela multidão na porta da minha casa, e não percebeu meu primo nas suas costas com um pedaço de viga de madeira de mais ou menos uns 25 quilos, que ele achara no entulho da construção de uma vizinha nossa de rua. Meu primo em um estado de fúria acertou um forte golpe na cabeça do pobre senhor e começou a rir desesperadamente que chegava a babar. Ele gritava: "Eu matei! Eu matei!", e cuspia no corpo do homem caído enquanto todos corriam para socorrer o pobre que já estava em seus últimos minutos. O homem conseguiu ainda ser atendido por uma ambulância do SUS, mas morreu a caminho do hospital.

Depois do acontecido, os pastores não quiseram mais chegar perto do meu primo. Ele se sentou no meio fio de uma praça que tinha a 50 metros da minha casa e ficou lá sentado, debaixo de uma árvore aparentemente falando sozinho, quando chega um conhecido desse senhor com uma faca na mão querendo fazer justiça, querendo se vingar e matar meu primo. Já estava escuro, era umas 7 horas da noite, minha mãe chorava muito, todos em estado de choque na minha família. Nós nunca presenciamos e tivemos envolvimento com crime algum, enquanto a polícia estava a caminho, o conhecido do senhor morto tentava acertar meu primo com a faca. Já disse estava escuro, a gente só via os vários reflexos da luz do poste na lamina da faca pensamos que meu primo sairia todo picotado, mas ele saiu sem nenhum arranhão e quando a policia chegou, ele mesmo se entregou e entrou no camburão. Marcos foi levado para o Delegacia de Homicídios de Goiânia, e só pode ser visitado no outro dia.

Na mesma noite tivemos que ser interrogados pelo delegado e fomos liberados. Já na manhã da sexta-feira, minha mãe e minha tia, que veio as pressas do interior, foram visitá-lo ele disse que não se lembra de absolutamente nada além de terríveis pesadelos que costumava ter com demônios que riam para ele.
Depois de preso, Marcos passou por uma série de exames tanto de sangue quanto psicológicos. Nos exames não foi constatada nenhuma substância ou entorpecente em seu organismo e nem problema mental algum. Meu primo Marcos foi condenado por assassinato doloso e ainda está preso. Os seus colegas de cela sempre comentam com minha tia os comportamentos estranhos dele, que de uma ora para outra ele parece ser outra pessoa e de como ele parece gostar de estar lá, e diz que ele vive vendo cruzes negras na cela.

Obs: Meu primo Marcos, anos antes do incidente, era batizado nas águas e em espírito pela igreja Assembléia de Deus no município onde morava, mas depois de se envolver com uma mulher, se afastou da Igreja e voltou a beber e fumar. Disseram-me que quando uma pessoa convertida se afasta da comunhão com Deus e volta para o mundo, o mal que estava sobre ele antes, volta sete vezes mais forte.

Agora conto com a ajuda de vocês, pois espero por ajuda. O que realmente acham que aconteceu com meu primo Marcos? Ataque de fúria? Stress? Possessão de seu corpo por espíritos ou demônios? Não sei, mas isso que eu quero descobrir. Desculpe o relato longo, mas tentei não faltar aos mínimos detalhes deste acontecimento que marcou minha vida em 2009.

Abraços e Fiquem com Deus.

Fonte: Sobrenatural.Org


Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários