22 de janeiro de 2013

Dia da Mãe de Deus

Por Mr. Tlaloc

Nas oitavas de Natal a igreja cristã comemora o Dia da Mãe de Deus.

Nas oitavas de Natal, primeiro de janeiro, a igreja cristã celebra o Dia da Mãe de Deus.  Este título atribuído a Maria  “Theotokos”, em grego, Mãe de Deus,  dependeu primeiramente dos dogmas dos Concílio de Nicéia de 325 d.C e Concílio de Constantinopla 381 d.C que trataram do mistério da consubstancialidade de Deus uno e trino, Jesus Cristo verdadeiro Deus e verdadeiro homem.  Mas foi somente no terceiro Concílio Ecumênico em 431, que foi declarado que a  Virgem  Maria é a  Mãe de Deus, “Theotokos”.

Portanto além da igreja católica romana  e ortodoxa,  também as primeiras igrejas evangélicas verdadeiras: os anglicanos, luteranos, calvinistas e algumas denominações protestantes  que reconhecem os quatro primeiros concílios ecumênicos católicos, confirmam em suas crenças, o dogma de que Maria é a Mãe de Deus.

MAS PORQUE OS AS SEITAS EVANGÉLICAS NÃO GOSTAM DE MARIA?

Na verdade nem mesmo eles sabem o porque de não gostarem de Maria. Mas tudo parece ter começado na guerra dos 30 anos e na época dos livres pensadores da metade do século XVIII,  onde as idéias modernas sufocaram os corações dos evangélicos quanto a veneração da Virgem Maria.  Pensamento vai contra os princípios bíblicos, onde está escrito que todas as gerações proclamarão Maria bem-aventurada até o fim dos tempos. Hoje está  profecia só se cumpre na Igreja Católica romana e Ortodoxa,. Na igreja evangélica caiu no esquecimento como se este trecho da bíblia não existisse.

Mas isto não ocorre com todas as denominações evangélicas. Afinal as primeiras verdadeiras igrejas evangélicas, demonstram respeitos e reconhecimento à devoção a Maria. Como podemos perceber no Manifesto Luterano de 1982.

 

 MANIFESTO DA IGREJA EVANGELICA LUTERANA

A igreja Evangélica Luterana da Alemanha em 1982 publicou um manifesto convocando os evangélicos a refletirem sobre as aparições e milagres atribuídos a Santa Maria e confirmados pela Igreja Católica

Trechos do manifesto:

A realidade das aparições e milagres marianos se apresentarem na Igreja Católica e não na sua comunidade religiosa evangélica...  Tais fatos não deveriam, ao contrário, levar-nos a restaurar a figura da Mãe de Deus na Igreja Evangélica?

Somente Deus pode permitir que Maria se dirija ao mundo, através de aparições.
Não nos arriscamos talvez a cometer um erro fatal, fechando os olhos diante de tais realidades e não lhes dando atenção alguma?  Cristãos Evangélicos da Alemanha, deveremos talvez continuar a opor-lhes recusa e indiferença?

Continuaremos a nos comportar de modo que o inimigo de Deus nos mantenha em atitude de intencional cegueira?

Não deveremos talvez abrir o nosso coração a esta luz que Deus faz brilhar para a nossa salvação?

Tal problema evidentemente merece exame,: não deve ser afastado de antemão, por preconceito, pelo único motivo de que tais curas são apresentadas pela Igreja Católica. Tal atitude acarretaria grave dano para nós mesmos e para o mundo inteiro. Grande responsabilidade nos toca. Temos o direito de examinar tais fatos. Não nos é possível passar ao largo e encampar tudo no silêncio. Hoje, em alguns países, está em causa a  própria existência do Cristianismo. Seria o cúmulo da tolice ignorarmos a voz de Deus que fala ao mundo, pela mediação de Maria, e dar-lhe as costas, unicamente, porque Ele faz ouvir sua voz através da Igreja Católica. Como quer que seja, não podemos calar por muito tempo sobre tais realidades.

MAS O QUE DIRIA O FUNDADOR DA IGREJA EVANGÉLICA;

Martin Lutero era completamente devotado a Nossa Senhora, e crente em todas as doutrinas tradicionais marianas.
Link: http://tinyurl.com/ajdpkhr

Lutero, assim como Calvino, Zwingli, Cranmer aceitavam a doutrina tradicional da Perpétua Virgindade de Maria, e reconheciam  seu status como “Theotokos” (Mãe de Deus):

Palavras de Martinho Lutero:  “Deus diz: ‘o filho de Maria é meu Filho somente.’ Desta forma, Maria é a Mãe de Deus.”

Leia mais em Amor de Martim Lutero pela Mãe de Deus:
Link: http://tinyurl.com/az2443q

Na verdade Lutera dizia que nunca se poderia exaltar o suficiente a importância  da Mãe de Deus : Suas Palavras:  “Quem são todas as mulheres, servos, senhores, príncipes, reis, monarcas da Terra comparados com a Virgem Maria que, nascida de descendência real (descendente do rei Davi) é, além disso, Mãe de Deus, a mulher mais sublime da Terra? Ela é, na cristandade inteira, o mais nobre tesouro depois de Cristo, a quem nunca poderemos exaltar o bastante (nunca poderemos exaltar o suficiente), a mais nobre imperatriz e rainha, exaltada e bendita acima de toda a nobreza, com sabedoria e santidade” – Martinho Lutero no comentário do Magnificat .(cf. escritora evangélica M. Basilea Schlink, revista “Jesus vive e é o Senhor”).

Palavras de João Calvino, fundador da Igreja evangélica Calvinista:  - ''Não podemos reconhecer as bênçãos que nos trouxe Jesus, sem reconhecer ao mesmo tempo quão imensamente Deus honrou e enriqueceu Maria, ao escolhê-la para Mãe de Deus.''  (João Calvino, Comm. Sur l’Harm. Evang.,20)

Palavras de John Wesley  fundadador da Igreja Evangélica Metodista:  - ''Creio que Jesus foi feito homem, unindo a natureza humana à divina em uma só pessoa; sendo concebido pela obra singular do Espírito Santo, nascido da abençoada Virgem Maria que, tanto antes como depois de dá-lo à luz, continuou virgem pura e imaculada.''  (John Wesley, fundador da Igreja Metodista, 18.07.1749)

Erasmo de Rotterdam grande estudioso humanista do século 16, tinha medo de que negar a importância de Maria no Cristianismo, seria o primeiro passo para uma negação de Cristo. E é exatamente isso o que os evangélicos liberais fazem: negam o Cristo bíblico. Por isso não venerar Maria é correr o risco de perder a encarnação e o nascimento virginal de Jesus  Cristo.

SE COPIAR CITE A FONTE
Autor Mr.Tlaloc
Fonte: www.sobrenatural.org


Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários