30 de janeiro de 2013

Anjos da Guarda


Por JoB

Tenho 26 anos e já tive muito contato com o sobrenatural, mas hoje resolvi escrever meu primeiro relato, incentivada pela leitura de um relato aqui no site sobre 'Anjos ou Intuição'.

Bem, sempre tive um anjo-da-guarda muito forte, e muita intuição também (não sei se não são parte do mesmo todo). Eu e meu esposo (na época namorado) tínhamos um aniversário para ir à noite, 18 anos de meu irmão.

Tudo bem até aí, porém lembro que a partir da hora do almoço começamos a ter indícios de que não era uma boa ideia. Na verdade, sentíamos que não devíamos ir. Só sensação, mesmo.


Tínhamos uma moto, e com ela íamos pra todo lado. Na volta para casa, ambos com a sensação de que algo estava errado, entramos com a moto por um corredor lateral que dava acesso à casa (nos fundos) e do nada surge o cachorro da minha sogra se atravessando na frente.

Ele estava com a corrente presa no alto do muro, e quando ele correu ela se esticou na nossa frente. Por sorte a moto tinha 'bolha' pra proteger do vento, então a corrente quebrou a bolha e bateu no capacete do meu esposo. Não fosse isso, tinha ido direto no pescoço dele.

Tudo bem, passado o susto, xingamentos à parte, não nos machucamos.

Mais tarde continuamos com aquela sensação ruim (na hora não sabíamos que ambos estavam assim, pois nem comentamos a sensação). Enfim, a tarde passou e a noite foi chegando. Naquele sentimento de não querer ir, fomos enrolando até 21:30 mais ou menos. Aí acabamos nos arrumando pra sair.

Ele vestiu um casaco especial preto e vermelho com protetor na coluna e eu um casaco mega acolchoado (ah e meu capacete novo, comprado umas semanas antes, pois o antigo ficava solto).

Saímos, e pouco depois eu senti um calafrio, e me segurei mais forte no meu esposo. Logo em seguida começou a cena em câmera lenta:

Eu senti a moto andando de lado, vi uma luz forte e ouvi um som de batida, então senti que estava no vácuo (sensação bem peculiar) flutuando, vi um vulto preto e vermelho passar por mim e senti um baque no lado esquerdo. Aí eu pensei: "Ops, caímos de moto", fechei os braços na frente do corpo e saí rolando. Quando parei, vi pessoas se juntando, mas eu não conseguia me mexer, e tinha certeza que minha bacia estava quebrada (como eu não sei, nunca tinha quebrado nada até então). Vi um carro e duas motos no chão. Ouvi meu esposo se arrastando até onde eu estava, eu não estava machucada, mas ele estava sangrando, mas disse que estava bem, ligou pros meus pais. Aí eu senti meu quadril doer, olhei pra trás e vi que eu estava com as pernas torcidas, reuni forças e consegui movê-las pra endireitar (que alívio).

A SAMU chegou, minha mãe também, chorando, e eu dizendo pra ela que tava bem, mas ninguém me ouvia porque o capacete era apertado (ufa, se fosse o outro eu nem estava aqui pra contar).

Resumindo: um rapaz drogado vinha de moto na direção contrária e se jogou contra nós, na batida o guidon perfurou o joelho do meu esposo e nos jogou alguns metros à frente. Detalhe: tínhamos acabado de sair do semáforo e estávamos chegando em uma lombada, estávamos a uns 40km/h. Assim mesmo, eu quebrei a bacia/fêmur e desloquei o ombro esquerdo e meu esposo, além do furo no joelho quebrou um dedo e machucou uma vértebra do pescoço (graças ao colete, senão tinha quebrado).

Depois disso, a gente decidiu SEMPRE seguir a intuição, e nunca deixar de falar um pro outro se a gente sentir que algo está estranho. Foi ruim? Claro que sim. Mas podia ter sido muito pior. Ficou a lição pra nós nunca mais deixarmos de ouvir nossos anjos da guarda.

Até hoje, 3 anos depois, não voltei a subir em moto. Ainda amo, mas sei lá...

Desculpem o relato se ficou confuso, é a primeira vez que escrevo então não sei bem como fazer hehe.

Abraços e fiquem com Deus!

Fonte: Sobrenatural.Org


Sugestões da nossa loja oficial, a LojaSobrenatural.com.br
Comentários